in

Coronavírus: Pandemia ou histeria coletiva?

Coronavírus: Pandemia ou paranóia coletiva?
Pixabay

Em dezembro de 2019 os noticiários começaram a divulgar uma nova doença, novo coronavírus (covid-19), com alto nível de contaminação na metrópole Wuhan, cidade chinesa com mais de 11 milhões de habitantes.

As autoridades chinesas rapidamente criaram estratégias cuidadosas para evitar uma pandemia, sendo assim a população foi orientada a evitar ir as ruas, principalmente em áreas interditadas.

Com isso, lugares públicos que geralmente possuem grande concentração de pessoas como aeroportos, avenidas, escolas, metrôs e mercados ficaram totalmente vazios, como verdadeiras cidades fantasmas.

Na internet tem viralizado fotos que lembram cenas de filmes pós apocalíticos, despertando medo e histeria em grande parte da população mundial.

Foto: Reprodução

Mesmo com todas as medidas realizadas na China e por diversos países que ficaram em alerta, o patógeno invadiu 47 países. Em todo o mundo já foram confirmados mais de 80 mil casos.

O que é Coronavírus?

O novo coronavírus (covid-19) vem de uma ampla família de vírus e no meio cientista já havia conhecimento de seis vírus de uma classe que infecta humanos e causa infecção respiratória aguda.

Até o momento, os cientistas informam que o vírus é transmitido pelo contato e pelas vias aéreas.

Os sintomas conhecidos são: inicialmente a pessoa sentirá febre, seguida de tosse seca. Depois de sete dias surgirá falta de ar devido as complicações respiratórias.

E agora? Virou Pandemia?

Por enquanto o coronavirus é classificado como um surto epidêmico. Segundo a OMS, em 2009 o vírus H1N1 (gripe suína) foi atingiu 575,4 mil mortes, elevando o nível de alerta em pouco tempo para pandemia.

Por enquanto a OMS nomeou a situação atual como emergência de saúde internacional, negando que seja uma pandemia.

“Não estamos testemunhando doenças graves ou mortes em larga escala”, declarou. “Esse vírus tem potencial pandêmico? Absolutamente, tem. Já chegamos (à pandemia)? Em nossa avaliação, ainda não”, asseverou.

Tedros Adhanom Ghebreyesus (diretor-geral da OMS)

fonte: BBC

Coronavirus no Brasil: Como se proteger?

A disseminação do coronavirus tem aumentado a cada dia e com a confirmação de um caso no Brasil ontem(26/02/2020), vale a pena ficar em alerta com os cuidados básicos para se proteger.

De acordo com o Centro Chinês de Controle e Prevenção de Doenças (CCDC), a taxa de mortalidade do a doença é de 2,3% com considerado aumento para pessoas com mais de 80 anos ( 14,8%), por isso, idosos são mais vulneráveis.

Embora o coronavirus esteja em evidência nos meios de comunicação, a taxa de mortalidade do covid-19 é compatível com outras doenças infecciosas.

O sarampo, por exemplo, é altamente contagioso. Uma pessoa infectada com sarampo pode contaminar 90% das pessoas que ela tiver contato, caso não estejam vacinadas.

Segundo estudos britânicos, cada pessoa infectada pelo coronavírus transmitiu para 3 pessoas que teve contato, taxa inferior ao vírus que transmite o sarampo.

O grande problema é que o coronavírus não possui vacina ainda e também não tem cura. Veja abaixo as recomendações do Mistério da Saúde sobre esse novo vírus:

Segundo o Ministério da saúde os tipos de coronavírus conhecidos até o momento são:

  • Alpha coronavírus 229E e NL63.
  • Beta coronavírus OC43 e HKU1
  • SARS-CoV (causador da Síndrome Respiratória Aguda Grave ou SARS).
  • MERS-CoV (causador da Síndrome Respiratória do Oriente -Médio ou MERS).
  • Covid-19: novo tipo de vírus do agente coronavírus, chamado de novo coronavírus, que surgiu na China em 31 de dezembro de 2019.

Período de incubação

O período médio de incubação da infecção por coronavírus é de 5 a 16 dias.

Esse é o período de exposição da pessoa ao corona vírus até a manifestação dos primeiros sintomas.

Período de contágio

Ao contrário do SARSCoV que o contágio ocorre em média em 7 dias após os sintomas, o Novo Corona Vírus(covid-19) pode ser contagioso mesmo sem o paciente apresentar sintomas, segundo dados preliminares.

Precauções orientadas pelo Ministério da Saúde

  1. Lavar as mãos frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos. Se não houver água e sabão, usar um desinfetante para as mãos à base de álcool.
  2. Evitar tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas.
  3. Evitar contato próximo com pessoas doentes.
  4. Ficar em casa quando estiver doente.
  5. Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar com um lenço de papel e jogar no lixo.
  6. Limpar e desinfetar objetos e superfícies tocados com freqüência.

O que fazer para não entrar em pânico com o covid-19?

Cidades superpopulosas com grande circulação de pessoas em ambientes fechados como meios de transportes, salas de aula, ambientes de trabalho tem favorecido o rápido contágio de diversos vírus respiratórios.

Presente nos 5 continentes, o coronavírus tem trazido discussões importantes referente aos cuidados básicos de saúde. Por isso, não é necessário entrar em pânico e sim melhorar os cuidados de higiene e saúde.

Lavar as mãos com sabão corretamente, utilizar álcool em gel, dar preferência a ambientes ventilados e fazer uso de lenço de papel em caso de tosse e espirro, são ações esquecidas que devem fazer parte do nosso dia a dia para evitar qualquer vírus dessa grandeza.

Reportar erro

Escrito por Carla França

Co-fundadora da revista digital Blahpsi, atua há 10 anos como psicóloga clínica e institucional. Pós graduada em Saúde da Família, aprimoramento no Programa de Atenção à Tentativas de Suicídio, especialização em Psicologia & Relações Raciais (Instituto AMMA Psique e Negritude) e cursando a formação em Psicanálise no Núcleo Brasileiro de Pesquisas Psicanalíticas.

Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Loading…

0
O que sua autoestima revela sobre sua saúde emocional-

O que sua autoestima revela sobre sua saúde emocional?

Um shortinho tipo Anitta O mimimi de uma sociedade machista

Um shortinho tipo Anitta: a culpabilização da mulher por uma sociedade machista!