in

Envelhecimento: Como ter uma velhice ativa?

Saiba como manter a mente ativa e disposta a conhecer o novo e socializar na velhice

Envelhecimento Como ter uma velhice ativa
Anna Shvets by Pexels

“Puxa, por que eu não comecei antes?!?”

Essa é uma frase que ouvi de um paciente durante o atendimento de Pilates. Frase que me marcou e eu não esqueci.

Segundo o Estatuto do idoso, com 60 anos ou mais considera-se o indivíduo idoso. E no Brasil temos mais de 28 milhões de idosos, com previsão de aumento nas próximas décadas, segundo IBGE.

Envelhecer é um processo da vida, do qual ocorre várias mudanças, assim como na infância, adolescência e a maturidade.

PUBLICIDADE

A fase do envelhecimento possui dois aspectos, sendo eles a senescência, o qual o corpo passa por alterações decorrentes de processos fisiológicos, que não caracterizam doença, por exemplo o surgimento dos cabelos brancos, o aparecimento de rugas, que são alterações que não apresentam sintomas e nem interferem no estilo de vida.

Já a senilidade, abrange as condições que afetam o indivíduo baseados em mecanismos fisiopatológicos, como Alzheimer e hipertensão arterial que requerem uma abordagem e tratamento.

Mas a palavra envelhecer, não significa ter uma vida inativa.

Ao contrário, é manter o controle das tarefas do dia a dia e do próprio corpo, abraçar novos desafios, realizar desejos e possuir uma mente saudável e é neste ponto que queremos chegar no texto de hoje.

Como você vê a velhice?

A velhice é um processo de alterações biológicas e funcionais que acontece de forma natural e gradual, e que pode apresentar fragilidade em idosos que tem uma saúde mais debilitada ou possuem um estilo de vida que agride a saúde física.

O fator social também interfere no ritmo de vida do idoso, como a jornada de trabalho reduzida parcialmente ou totalmente, o convívio junto a família e na sociedade.

Muitas pessoas temem chegar na velhice, talvez por uma situação instável, outras por abandono, por uma incapacidade física, entre outros fatores.

E podemos dizer que a capacidade funcional do idoso está conectada com a relação de autonomia e qualidade de vida.

Com o acelerado aumento do índice de envelhecimento, os idosos são um grupo alvo de risco para a depressão e o suicídio.

PUBLICIDADE

Estudos de 51 casos de suicídio de idosos, realizados em 10 cidades brasileiras, através de autópsias psicológicas concluíram que doenças graves, transtornos mentais, depressão, conflitos familiares e conjugais são as principais causas.

Não apenas a aposentadoria, que por sua vez coloca o idoso em situações de sobrevivência precária, mas o isolamento social, a falta de projeto de vida, a vontade de reviver o passado, perda de entes queridos, a mudança forçada de domicílio, podem desencadear quadros preocupantes e que merecem atenção de profissionais.

Quem não quer ter uma velhice ativa e feliz?

Se preparar para esse momento da vida é importante. A rotina que adotamos no nosso dia a dia irá interferir lá na frente.

Criar uma alimentação equilibrada, é um ótimo recomeço, livre de vícios que prejudicam a saúde.

Participar de grupos. Ele permitirá a interação com outras pessoas, compartilhar pensamentos, sentimentos e idéia. Diversas oficinas são uma ótima escolha, aprender algo novo ou mesmo ensinar outras pessoas.

Inserir a atividade física. Entre as alterações já apresentadas, a instabilidade postural que ocorre pelas alterações do sistema sensorial e motor, leva a maior tendência a quedas.

A prática de exercícios, conduzidos por um profissional capacitado, melhora os reflexos, a capacidade funcional, força muscular, flexibilidade, equilíbrio, coordenação, atenção, memória, combate a ansiedade promovendo mais confiança e menos riscos de quedas, bem como bem estar físico e psicológico.

Manter os exames rotineiros em dia, e já enfatizando um de nossos trabalhos na fisiotetapia, ser orientado quanto ao melhor posicionamento mobiliário em casa e dispositivos auxiliares para segurança irão beneficiar e facilitar a autonomia do idoso.

Por tanto, manter a mente ativa e disposta a conhecer o novo e socializar faz muito bem.

Chegar nesta fase, requer cuidados nas fases anteriores. Não se descuide.

PUBLICIDADE

Envelhecer sim, mas com uma saúde e autonomia.

Você já se exercitou hoje?

Reportar erro

Escrito por Cyntia Costa

Proprietária da Convert Studio Pilates & Fisioterapia. Atuação clínica em Fisioterapia (Crefito - 3/ 183677 - F), Traumato - Ortopédica com ênfase na reabilitação física, prevenção e promoção da saúde. Meu objetivo é trazer conhecimentos e compartilhar possibilidades que promova a qualidade de vida e mudanças de hábitos prejudiciais.

Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Loading…

0
Dia Internacional pela eliminação da Violência contra a Mulher

Dia Internacional pela eliminação da Violência contra a Mulher

Carência_O medo do abandono

Carência: O medo do abandono