in

A paz mora no coração e nas atitudes

A paz mora no coração e nas atitudes
Cottonbro by Pexels

“Se quisermos ter paz na Terra, nossas lealdades devem transcender nossa raça, nossa tribo, nossa classe e nossa nação; e isso significa que nós devemos desenvolver uma perspectiva mundial.”

(Martin Luther King)


No dia 21 de setembro foi celebrado o dia internacional da Paz, valor desejado pela humanidade, pauta de projetos validados pela Organização das Nações, em que os contextos social, cultural, econômico, político e histórico devem ser considerados para que a ela seja praticada por cada um e todos.

A palavra paz, do latim pax, é definida como um estado de calma ou tranquilidade, ausência de perturbações. Derivada do latim pacem, absentia belli, significa ausência de violência ou guerra.

“(…) A paz
Fez o mar da revolução
Invadir meu destino; a paz
Como aquela grande explosão
Uma bomba sobre o Japão
Fez nascer o Japão da paz (…)”

(Gilberto Gil)

A paz tem sua morada no coração, na mente e na alma do ser humano, pode viver de maneira tímida, canhada, esquecida ou forte e presente em pensamentos, sentimentos, palavras e atitudes.

Ela pede nutrição através do autocuidado e autoconhecimento, mergulhar em si mesmo, pela prática de meditação diária é um dos caminhos para sentir a paz interior.
Acredito que a paz não se ensina, se experimenta por meio de vivências contemplativas e engajamento pessoal a favor da não violência.

O contato com a Natureza favorece o contato com a paz interior, desde que a pessoa esteja aberta a essa conexão.

Dar permissão a si mesmo para sentir a relação entre natureza interna e externa é uma experiência incrível para a vivenciar a interdependência.

Afetamos e somos afetados os ambientes, relacionamentos a partir de nosso modo de ser e estar no mundo, portanto o mundo é o reflexo da consciência humana e suas atitudes.

Desejar a paz mundial implica em nutrir a sua paz interior e multiplica-la diariamente, um processo de dentro para fora, sustentado por cada pessoa.

Atitudes para nutrir e florescer a paz:

  • Conhecer o próprio ritmo
  • Evitar comparações
  • Evitar julgamentos (de si e de outros)
  • Meditar diariamente (qualidade mais importante que quantidade)
  • Honrar a sua biografia e ancestrais
  • Dedicar tempo à solitude, ouvir a voz do coração
  • Expressar a paz em gestos (ela não é teoria)
  • Engajar-se em projetos e causas pacíficas

A paz começa, portanto, em cada ser humano e fica enfraquecida em situações de violência, em suas diversas expressões, quando o respeito à dignidade humana é violado.

Diante do cenário atual, em razão da pandemia, um colapso emocional mundial precisa ser acolhido, visto, compreendido.

Situações de dor física e emocional, perdas, exclusão social, crise de valores assolam o planeta e de outro lado inúmeras iniciativas da sociedade civil atuando em direção oposta, em que valores como solidariedade, cooperação, compaixão, amor, união e paz estão sendo mobilizados e acima de tudo fortalecidos.

Diante desse acontecimento histórico, que está mudando o mundo e o modus operandi da humanidade, acredito e trabalho por ela, é uma escolha e não uma opção.

Sugestão de prática meditativa para inspirar você:

Escolha um local para sentar, confortavelmente, por alguns minutos, você vai cuidar de você e de suas emoções, se desejar ouça música instrumental relaxante.

“Há dias e momentos em que sentimentos menos positivos aparecem… e junto com eles ficamos tristes, chateados ou magoados.

Parar por alguns instantes nos ajuda a encontrar a paz que existe em nós, isso nos fortalece e nos ajuda a atuar no mundo com mais clareza mental e autorrespeito.

Volte sua atenção para a respiração… inspire e expire suave e tranquilamente… isso.. faça as respirações sem pressa…

Seu corpo, mente e emoções vão relaxando…

Você começa a sentir a tranquilidade que há em seu coração…

Mergulhe nessa sensação de paciência… solte.. os pensamentos e sentimentos nessa onda de paz…

Tudo passa… a energia de bem-estar e equilíbrio abraça você nesse exato momento…Sempre que desejar você pode mergulhar na paz que existe em você…

Inspire e expire profundamente… sem pressa… vá voltando devagar, abrindo os olhos… alongue o corpo… agora você poderá realizar as suas atividades… sentindo-se mais leve”.

Boas experiências! Abraço carinhoso.

Reportar erro

Escrito por Anna M. Oliveira

Anna Maria de Oliveira, mais de 25 anos atuando na área educacional, formação de educadores, liderança de equipes e desenvolvimento de projetos. Pedagoga, Especializada em Gestão Escolar, Arte Educadora, Professora, Consultora, Palestrante. Fundadora da Academia Confluência (Escola de desenvolvimento humano para Autogestão).

Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Loading…

0
Solstício de Primavera

Equinócio da Primavera: O renascimento

Como aprendemos a identificar sentimentos?

Como aprendemos a identificar sentimentos?